MENSAGEM GOSPEL - BUSCAS CONTINUAM PELO TERCEIRO DIA EM PRÉDIOS QUE DESABARAM NA MUZEMA, NO RIO

Notícias Gospel

BUSCAS CONTINUAM PELO TERCEIRO DIA EM PRÉDIOS QUE DESABARAM NA MUZEMA, NO RIO

Publicado em 14 de Abril de 2019 | Fonte: G1 Noticias


Buscas continuam pelo terceiro dia em prédios que desabaram na Muzema, no Rio

Nove pessoas morreram e 15 seguem desaparecidas. De acordo com Centro de Operações, cidade tem previsão de chuva forte para a tarde deste domingo.

Por G1 Rio

14/04/2019 07h34  Atualizado há uma hora


Buscas seguem na comunidade da Muzema, na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/ TV GloboBuscas seguem na comunidade da Muzema, na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

Buscas seguem na comunidade da Muzema, na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

As buscas nos escombros de dois prédios que caíram na comunidade da Muzema, na Zona Oeste do Rio, continuam pelo terceiro dia. Na noite de sábado (13), subiu para 9 o número de mortos, quando os corpos de um menino e uma mulher foram retirados do local.

Bombeiros continuam a trabalhar no local à procura de sobreviventes. Quinze pessoas seguem desaparecidas.

 

 

Tempo fechado na comunidade da Muzema, na Zona Oeste do Rio — Foto: Henrique Coelho/ G1Tempo fechado na comunidade da Muzema, na Zona Oeste do Rio — Foto: Henrique Coelho/ G1

Tempo fechado na comunidade da Muzema, na Zona Oeste do Rio — Foto: Henrique Coelho/ G1

 

Previsão de chuva forte

 

A cidade do Rio de Janeiro tem previsão de chuva forte para a tarde deste domingo (14), de acordo com o Centro de Operações Rio (COR). Ventos em altos níveis da atmosfera, em conjunto com o transporte de umidade do oceano para o continente, deixarão o tempo instável na capital fluminense.

Deve ocorrer chuva fraca a moderada em pontos isolados ao longo da manhã. A partir da tarde, podem ocorrer pancadas de chuva moderada a forte, acompanhadas de raios e rajadas de vento.

Em relação ao sábado (13), as temperaturas apresentarão declínio, com mínima de 21ºC e máxima de 32ºC.

O Rio segue em estágio de crise desde 20h55 de segunda (8), quando a pior chuva em 22 anos atingiu a cidade. Dez pessoas morreram.

 

PRÉDIOS DESABAM NO RIO