MENSAGEM GOSPEL - GOVERNOS DE RORAIMA E SÃO PAULO TÊM MENOR TRANSPARÊNCIA EM CONTRATAÇÕES EMERGENCIAIS DURANTE PANDEMIA, REVELA ESTUDO

Espaço Saúde

GOVERNOS DE RORAIMA E SÃO PAULO TÊM MENOR TRANSPARÊNCIA EM CONTRATAÇÕES EMERGENCIAIS DURANTE PANDEMIA, REVELA ESTUDO

Publicado em 21 de Maio de 2020 | Fonte: Transparência Internacional verifica como as informações dos contratos feitos para combater a Covid-19 são divulgadas nos estados e nas capitais. Entre as prefeituras, Belém tem o pior índice. Por Felipe Grandin, G1


Governos de Roraima e São Paulo têm menor transparência em contratações emergenciais durante pandemia, revela estudo

Transparência Internacional verifica como as informações dos contratos feitos para combater a Covid-19 são divulgadas nos estados e nas capitais. Entre as prefeituras, Belém tem o pior índice.

Por Felipe Grandin, G1

21/05/2020 04h00  Atualizado há 18 minutos


 

Os governos de Roraima e São Paulo são os menos transparentes na divulgação dos contratos emergenciais feitos durante a pandemia de Covid-19, mostra ranking inédito divulgado nesta quinta-feira (20) pela Transparência Internacional. Entre as capitais, o pior índice é o da Prefeitura de Belém.

Espírito Santo, Distrito Federal, Goiás e Paraná aparecem com uma avaliação ótima. Já entre as capitais, João Pessoa e Goiânia lideraram o ranking.

A ONG analisou os sites, redes sociais e portais de transparência dos governos de todos os 26 estados e do Distrito Federal e de todas as 27 capitais.

O resultado indica que boa parte dos governos estaduais e municipais não está cumprindo as exigências da Lei Federal nº 13.979/2020, que regulamentou as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente da pandemia do coronavírus. Essa legislação exige transparência nas contratações emergenciais.

Ao não dar transparência aos contratos feitos sem licitação, os governos dificultam a fiscalização e impedem que a sociedade veja como o dinheiro público está sendo usado durante a pandemia do coronavírus.

"A flexibilização dos controles e a realização dos procedimentos sem o processo licitatório acabam aumentando o risco de corrupção", afirma Guilherme France, coordenador da pesquisa da Transparência Internacional.

"Nós vimos nas últimas semanas diversos indícios de irregularidades em contratos (relacionados à Covid-19), no Rio, em Santa Catarina, que foram identificados justamente pelas informações divulgadas por esses portais."

Com recursos e equipes maiores, segundo a ONG, os 26 estados do país e o DF tiveram melhor desempenho, com pontuação média de 59 pontos em 100 possíveis. Já as prefeituras das capitais tiveram média de 45 pontos.

Cerca de metade dos estados recebeu nota boa ou ótima, entre 79 e 100. Dos restantes, apenas São Paulo e Roraima tiveram nota ruim, de 20 a 39.

Ranking da transparência dos estados nas contratações emergenciais durante a pandemia de Covid-19 feito pela Transparência Internacional — Foto: Aparecido Gonçalves/G1

Ranking da transparência dos estados nas contratações emergenciais durante a pandemia de Covid-19 feito pela Transparência Internacional — Foto: Aparecido Gonçalves/G1

Já entre as prefeituras das capitais, que têm menos recursos e equipes de transparência, segundo a ONG, só cinco tiveram nota boa ou ótima. Outras nove tiveram nota ruim. Belém foi a única com avaliação péssima, de 0 a 19.

Ranking de transparência das prefeituras das capitais nas contratações emergenciais durante a pandemia da Covid-19 feito pela Transparência Internacional — Foto: Aparecido Gonçalves/G1

Ranking de transparência das prefeituras das capitais nas contratações emergenciais durante a pandemia da Covid-19 feito pela Transparência Internacional — Foto: Aparecido Gonçalves/G1

 

Nível abaixo do recomendado

 

Na avaliação da Transparência Internacional, o nível de transparência oferecido pelos estados e prefeituras está abaixo do recomendado. E isso não só dificulta a fiscalização como pode dar margem a desvios e prejuízos aos cofres públicos.

No caso de São Paulo, que ficou entre os piores estados, não estão facilmente disponíveis informações básicas dos contratos emergenciais, como o valor e o prazo de execução. "São informações exigidas por lei", afirma France.

Nos portais de Roraima, não há nem os nomes dos fornecedores e o bem ou o serviço contratado.

Ele explica que algumas informações estão disponíveis no Diário Oficial e outras em arquivos pdf que precisam ser baixados, mas que isso não significa que há transparência.

"Não é viável pedir que o cidadão fique lendo o Diário Oficial para conseguir as informações. A importância da transparência é justamente que todo mundo consiga acessar e entender as informações", diz.

A situação em Belém é ainda pior. Não é possível nem sequer ver as informações dos contratos no site. É preciso acessar um link, que leva para uma nuvem e de lá baixar os arquivos em pdf.

 

 

Metodologia

 

Os critérios de avaliação do ranking se basearam no guia de Recomendações para Transparência de Contratações Emergenciais em Resposta à Covid-19. O manual foi lançado há duas semanas e produzido em conjunto com o Tribunal de Conta da União (TCU).

Na época, segundo a ONG, todos os governos avaliados no ranking receberam orientações e foram notificados que passariam a ser avaliados periodicamente com base nesses critérios.

Resumo do dia

As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail.

Para se inscrever, entre ou crie uma Conta Globo gratuita.

Inscreva-se e receba a newsletter

 

Veja também

G1 Olha que legal

Pai e filha usam fantasias para levar lixo na Espanha durante isolamento

Caso aconteceu em Puertollano, na região central do país.

12 de mai de 2020 às 20:48

PróximoEstudantes de escolas públicas relatam dificuldades para acessar aulas online

Mais do G1

AO VIVO

GLOBONEWS: Bolsonaro e governadores debatem ajuda aos estados

Há 12 horasGloboNews

Shows para ver em casa

Iza, Manu Gavassi, Ferrugem, César Menotti & Fabiano e as lives de hoje

Música

'Árvore da saúde'

Moradora de SC pendura máscaras para doação em comunidades carentes

Comerciante orienta sobre uso do item e prevenção ao coronavírus.

Santa Catarina

Número 2 da PF volta a depor, muda versão e diz que Ramagem o convidou para ocupar cargo

Carlos Henrique de Sousa disse que 'ninguém' o havia procurado para diretor-executivo. Agora, disse que foi contatado em 27 de abril, um dia antes de Ramagem ter sido nomeado diretor-geral da PF. Nomeação de Ramagem foi barrada pelo STF.

 

7 min

 

Política

Deputado Estadual Gil Vianna morre com Covid-19 em hospital particular de Campos, no RJ

Informação foi confirmada pela assessoria do parlamentar, que também era pré-candidato à Prefeito de Campos.

 

3 min

 

Norte Fluminense

Advogado da família Bolsonaro foi pago com dinheiro do fundo partidário

Victor Granado Alves e Flávio Bolsonaro são amigos de infância e em 2019, o advogado passou a trabalhar na liderança do PSL na Alerj. Nesta quarta (20), o empresário Paulo Marinho prestará depoimento na PF.

 

4 min

 

Rio de Janeiro

VEJA MAIS

 

últimas notícias

© Copyright 2000-2020 Globo Comunicação e Participações S.A.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Para mais informações, consulte a nossa nova política de privacidade.